sábado, março 1

QUANDO DEUS AJOELHOU-SE DIANTE DOS HOMENS ( Jo. 13 e 5 ) - PB: ANTONIO FONSECA


     Era a ultima noite do ministério terreno de Jesus, antes do patíbulo da cruz. Ele está reunido com os seus alunos, que durante cerca de três anos havia treinados, e o objetivo do seu ensino, era que eles difundissem o seu reino, de maneira que percorresse por toda a terra chegando um dia até nós.

     Foi uma noite pesarosa, nos bastidores da cidade de Jerusalém está ocorrendo a preparação para a grande festa da páscoa, multidões advindas de diversas regiões do país aglomeravam-se na cidade. No círculo do sinédrio, era orquestrada a prisão e a sentença de morte de um homem inocente, por mais que Jesus tenha tentado deixar não transparecer, era visível, a sua alma estava angustiada, naquela noite ele fez uma declaração fortíssima; Um de vós há de me trair, isso impactou todos os presentes, talvez até que daquela reunião saísse o traidor.


     Naquele final de semana o curso da história da humanidade mudaria para sempre. Jesus dividiria a história, o império do pecado e da morte seria desfeito, ele como cordeiro de Deus satisfaria a lei do sacrifício, e milhões de vidas a partir dali, seriam redimidas no mundo inteiro para glória do seu nome.

     Eles estavam reunidos em uma ceia, aliás foi nela que Jesus estabeleceu este culto memorativo, tão importante, que todas as vezes que participamos dele, estamos lembrando a sua morte, mais dizendo também, Jesus; Estamos aguardando a sua volta.

     Imagine comigo a cena, Jo. 13 e 4. levantou-se da ceia, tirou as vestes e, tomando uma toalha, cingiu-se. Verso 5; Depois, pôs água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. A atitude de Jesus não era costume dos Judeus, da forma que ele fez lavar os pés, era uma prática constante entre eles, a prova é que havia até os depósitos de águas para purificação, só que geralmente, este era o papel de um escravo estrangeiro, e o próprio Jesus alertou a eles, o que faço, não o sabes tu, agora, mais tu o saberás depois. Então observemos o que aconteceu, Jesus sendo Mestre tomou a atitude de um escravo, que lição era aquela? Pedro a princípio recusou que ele lavasse os seus pés, mais eles não teriam parte com o seu Mestre, se não passassem por aquele ensino, aliás, que ensino? Alguém procurando descrever esta cena diz; Que este foi o último degrau da liderança de Jesus, sendo ele Senhor, fez o papel de servo, para que todos visse que para ser grande no reino do Mestre, precisa se torna servo.


     Ainda existem hoje, muitos com espírito de grandeza, e se esquecem do ensino do maior professor da história, lembre-se, ele tirou as vestes de mestre, colocou o avental de um escravo, e se agachou para lavar os pés dos seus alunos. O que os seus discípulos viram ali, mudaram com certeza a concepção que eles tinham sobre liderança, era o próprio Deus em pessoa, se abaixando diante da sua criatura, mostrando a grandeza da sua misericórdia, e dando uma das maiores lições de vida.

     Antes daquele acontecimento se dá, Jesus envia dois de seus discípulos para prepararem o local, e com certeza eles eram conhecedores dos costumes e das tradições da sua época, note quê; Eles devem ter se perguntado entre se, quem iria fazer o papel do escravo, e eu particularmente penso, que quando Pedro se recusa em ter os seus pés lavados, foi a consciência o cobrando, por ele ver o seu próprio Senhor, tomando aquela atitude.

     Pouco se fala desta lição que o Senhor deixou, quando alguém vai falar deste texto, diz apenas que o que está acontecendo no momento não é para ser entendido, e que saberemos depois o porquê de tudo que está se passando. Raramente ouvimos falar de que Jesus estava ensinando sobre liderança, que pra ser grande precisa ser servo, que ele como Senhor de toda igreja fez o papel de escravo, que pra ter parte com ele precisaria imita-lo, e assim por diante, pouco olhamos para um dos últimos ensinamentos de Jesus antes da sua morte.

     É lamentável vermos em nossos dias, que existem obreiros, que por ocupar determinados cargos na igreja, imaginam serem donos, e que nem de longe aprenderam a lição do seu mestre. Alguns chegam até chamarem a igreja de sua, como se fossem deles, é hora mais uma vez de aprendermos que somos servos e não senhores, ou que dizer do nosso professor maior quando disse: Vós me chamais Mestre e Senhor e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns dos outros. ( Jo. 13. 13 e 14 ) Esta aula implicaria em humildade, amor, no qual o líder deveria servir como exemplo da grandeza do reino.

     Paremos para meditarmos mais esta lição, e vivamos como imitadores do Mestre, sabendo que isto faz parte do seu reino na terra. O grande na verdade, é Ele, a glória deve ser dada somente a Ele, agora o galardão está com ele para dá aqueles que procuram seguir e servir como lhe apraz.



FIQUEM TODOS NA PAZ DO SENHOR.

Pb: Antonio Fonseca.
Contatos:
Oi   (84) 8807-7945
Tim (84) 9990-7514

Nenhum comentário:

Postar um comentário