sexta-feira, março 7

E AGORA, O QUE FAZER? - PB: ANTONIO FONSECA

     

  ... Todos os homens de guerra fugiram... ( Jr. 52 e 7 )
        
         Uma crise espiritual toma conta de Israel, seu povo chega ao ápice de adorarem outros deuses, o reino sul palco da adoração está vivendo distante de Deus, chegam a invocarem a rainha dos céus uma deusa adorada pelos babilônicos chamada instar, a situação se agrava cada vez mais, Deus os avisa por diversas vezes usando os seus mensageiros, porém eles não dão ouvidos a sua voz.

        Jeremias o profeta foi sem dúvidas, aquele que mais sofreu as consequências, falando a verdade sobre os acontecimentos que estavam para se realizar no meio daquela geração. Hostilizado e desacreditado por todas as classes da época, ele tem o difícil papel de informar ao rei, aos súditos, aos sacerdotes, aos príncipes e outros mais, que eles teriam que se entregarem ao rei da babilônia. Alias este nome causava arrepio naquela época.

        Tudo que estava preste a acontecer, era a colheita da desobediência do povo de Israel, pois o fato deles serem bem menores em numero do que o inimigo, não vem ao caso da eminente derrota que eles sofreriam, pois por muitas vezes Deus provou que pra ele dá vitória ao seu povo não depende de quantidade.

        A palavra do Senhor entregue por Jeremias era ameaçadora, pois qual é o homem que quer se entregar ao inimigo e dá o braço a torcer? O mais interessante é que esta era uma das alternativas que Deus havia dado ao seu povo. Como sempre Deus sempre nos dá alternativas para tomarmos algumas decisões. Pelo menos três, o povo de Israel teria diante do eminente exílio que estava para acontecer. Primeiro; Devido a sua desobediência, Deus usando o profeta os aconselha a se entregar ao inimigo. Segundo; Eles teriam que encarar o inimigo no campo de batalha, isso era gravíssimo para eles, não pelo fato de serem poucos em relação ao inimigo e sim porque eles não estavam em sintonia com o seu Deus. Na última das hipóteses eles tinham uma terceira alternativa, essa ainda era pior que as anteriores, era fugir da presença do inimigo. Infelizmente fora essa a atitude que eles tomaram. Esta atitude é o verdadeiro perfil do crente que perdeu a direção de Deus.

          Nabocodonosor rei da Babilônia vinha igual um rolo compressor sobre a terra, todos os reinos por onde ele passava era submetido ao seu domínio. Devido a desobediência de Israel, ao Senhor Jeová, nem eles se associando com o Egito, nem assalariando os assírios, seria suficiente para resistirem a Babilônia. Custou para aquele povo incrédulo perceberem que Jeremias, não era um impostor, e nem tão pouco um traidor, o que ele falava era verdade.

         A decisão que os homens de guerra tomaram como diz o texto, de fugirem, deixa para nós uma grande dúvida, eram realmente homens de guerra? Este nunca foi nem será uma atitude sábia. Eu sei que o crente tem e deve fugir de muitas coisas como: Fugir do pecado que tão de perto nos rodeia, fugir da aparência do mal, fugir das más companhias, fugir da língua enganadora, e assim por diante, agora fugir da luta, quem assim o faz ou pelo menos tenta fazer, esta fadado ao fracasso, pois Deus não chama este tipo de fujões, a vitória e o troféu nunca vai está disponível na prateleira deste tipo de gente. Como podemos ver nesta própria história, o rei foi capturado e o exército debandou-se, além da vergonha da derrota, foram aprisionados fugindo demonstrando a sua fragilidade.

         Eu sei que a nossa vida e as nossas decisões não são apenas triunfos, existem os fracassos também, agora a pior coisa é quando se omitimos a lutarmos por aquilo que está tirando o nosso sono, ou somos intimidados e entregamos os pontos antes da peleja. O salmista Davi um dia fez uma canção que começa dizendo; No Senhor confio; Como dizeis, pois, à minha alma: Foge para a tua montanha como pássaro? Sl. 11 e 1. Então perceba, ou eu confio ou eu fujo, existem momentos que tudo que queremos é fugir. Olhe para o exemplo de Jesus, quando ele estava no horto para ser aprisionado, e viu aqueles homens armados, vindo para lhe prenderem, ele perguntou embora sabendo a quem eles procuravam, eles disseram a Jesus o nazareno e quando ele usa a expressão: " SOU EU " eles caem todos por terra, mais Jesus não fugiu.

        Talvez o que você esteja passando, já te fez querer fugir da própria vida. O seu pensamento foi largar tudo e ir embora. Você perdeu as esperanças e disse pra si mesmo, cadê a minha identidade? Olha aonde eu cheguei, o desanimo bateu a sua porta, mesmo sem você o ter convidado. Mais você ainda está aqui, a guerra não acabou ainda, e eu sei que você não quer ser inserido no rol daqueles homens de guerra, e eu ainda tenho uma boa noticia pra você, o timoneiro da embarcação da sua vida, continua no controle da viagem, e se você quiser falar com ele e só chama-lo, ele atende pelo nome Jesus de Nazaré.

        Existem coisas que seremos instruídos a fugirmos delas, existem outras que teremos que encara-las, umas como escrevi anteriormente vencemos fugindo, outras não, a maioria delas para vencermos só temos uma alternativa, é lutarmos, e para estas Deus não conta com covardes, lute, pois luta e dificuldade tem hora pra se acabar.




       FIQUEM TODOS NA PAZ DO SENHOR.


Pb: Antonio Fonseca.
Contatos:
Oi   (84) 8807-7945
Tim (84) 9990-7514

Nenhum comentário:

Postar um comentário